/  Tudo sobre o mar   /  Mitos e verdades   /  5 mitos sobre o consumo de peixe

5 mitos sobre o consumo de peixe

5 MITOS SOBRE O CONSUMO DE PEIXE

Nem tudo o que ouvimos acerca do consumo de peixe é verdade. Há várias informações que são frequentemente difundidas, sem a comprovação da sua total veracidade. Para auxiliar, reunimos aqui as principais dúvidas em relação ao consumo de peixe e esclarecemos se se tratam de mito ou verdade.

Confira 5 mitos sobre o consumo de peixe.

Consumo de peixe: 5 mitos a ter em conta

1. O PEIXE DE AQUACULTURA É PIOR QUE O SELVAGEM

Segundo a Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar (EFSA), não existem diferenças consistentes entre os peixes selvagens e os peixes de aquacultura, tanto no que respeita à segurança do seu consumo, como à contribuição nutricional. Existem outros fatores que têm maior impacto na composição nutricional do pescado e no nível de contaminantes presentes, como a espécie, a estação do ano, a localização e a dieta.

Desta forma, à semelhança dos produtos selvagens, os produtos de aquacultura são recomendados na base de uma alimentação saudável.

2. GRÁVIDAS NÃO PODEM CONSUMIR PEIXE

Um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) demonstrou que um baixo consumo de peixe durante a gravidez pode ter impacto negativo na gestação, podendo afetar o desenvolvimento neurológico das crianças. Durante a gravidez, deve ser apenas assegurado que todos os alimentos são totalmente confecionados.

3. QUANTO MAIS ESCURO É O PEIXE, MAIS RICO É EM ÓMEGA-3

Não existe evidência científica de que esta afirmação seja verdade. De uma forma geral, os peixes mais ricos em ómega-3 são os peixes gordos, como é o caso da cavala, sardinha, salmão e atum. Várias investigações defendem que o consumo regular deste pescado pode contribuir para prevenir doenças cardiovasculares.

4. OS PRODUTOS CONGELADOS SÃO MENOS SAUDÁVEIS DO QUE OS FRESCOS

Os produtos do mar congelados são tão ou mais saudáveis do que os produtos frescos. Estes preservam a qualidade do produto, as suas características nutricionais e organolépticas e serão sempre uma excelente escolha, desde que seja cumprido um correto processo de congelação.

A congelação a bordo, ou seja, imediata após captura, permite a manutenção de todas estas características, o que torna o peixe congelado uma ótima escolha saudável.

5. É MAIS SAUDÁVEL COMER CARNE DO QUE PEIXE

Tanto a carne, como o peixe, são importantes fornecedores de proteína animal, pertencentes à Roda dos Alimentos e devendo fazer parte de uma alimentação saudável. Quando comparado com a carne, apesar de fornecerem quantidades semelhantes de proteína, grande parte do pescado apresenta quantidades elevadas de ácidos ómega 3 –  um importante protetor de doenças cardiovasculares, e é, também, rico em fósforo – um mineral importante na formação dos ossos e dentes.

Como podemos verificar, nem tudo o que ouvimos sobre o consumo de peixe é verdade. Certifique-se de que a informação é comprovada por fontes credíveis, para prevenir a tomada de decisões precipitadas, que podem ser prejudiciais à sua saúde.